Pra iniciar, um clàssico. Collor, Zèlia, golpe nas poupancas, caras-pixadas, essa època foi meio esquisita na nossa Història. Mas nem tudo foi um desastre. Com a abertura das importacoes, chegava ao Brasil a recem-inventada bicicleta de montanha. A da foto està sendo usada por um gentil jornaleiro hà nada menos que 18 anos. Nao troca por nada, funciona perfeitamente. Menos descartàveis que as de hoje…  Ver  uma bicicleta assim tao bem  cuidada  e funcionando  desperta uma nostalgia positiva. Saudades.

Depois de um breve intervalo longe das tecnologias digitais acessìveis, aqui estamos novamente para dividir um pouco do que vem acontecendo conosco nessa parte um tanto quanto peculiar do planeta. Nosso ùltimo relato foi feito a partir de Rio Grande, onde chegamos um tanto quanto apavorados depois de 3 dias de pedal de lado, deitados no vento lateral. As condicoes encontradas nos fizeram sentar e discutir nossas perspectivas a partir daquele momento, de modo que nosso cinegrafista e fiel escudeiro Alexandre Brandao optou por deixar a barca, tomando um onibus a Buenos Aires. O atraso proporcionado pelo despacho das bicicletas nos levou a uma reformulacao logìstica muito bem ilustrada pelo coelho branco do paìs das maravilhas. A chapa esquentou, e agora as ponderacoes envolvento tempo e distancias tomam outra dimensao. Pensa daqui, pondera dali, esgotam-se as alternativas a nao ser sair pedalando atras do tempo perdido. Aduanas, muito Ripio, uma noite no meio do nada e uma carona pra nao perder a balsa a Punta Arenas. Eleicoes no Chile. A volta da direita depois de 20 anos.

Atencao especial pra galerinha de Porvenir que interrompeu nossa siesta em praca pùblica com as pedras que voavam em nossa direcao, expelidas por bicicletas fazendo curvas deitadas e derrapando. Eis entao que escolhemos para descansar um local tao especial quanto a àrea de escape da curva mais encrencada da pistinha da molecada. Todos muito figura, com muitas peguntas e conhecimentos especificos sobre o Brasil. Na hora de ir embora, um dos pequenos me presenteou com um crucifixo, dizendo que aquilo deveria ser usado para matar o capeta, caso o mesmo aparecesse. Fato curioso que nesse mesmo dia pedalavamos por um caminho escuro e escolhemos um local protegido do vento para dormir, sem barraca mesmo, e depois descobrimos que aquela formacao rochosa tinha o nome de Silla del Diablo (banqueta do capeta). Nosso patuà pelo jeito funciona, porque o coisa ruim nem deu as caras e fomos gentilmente despertados por uma garoa fina passageira. Tudo em ordem.

Depois de reencontrar um casal de amigos belgas que recem pedalaram a Carretera Austral, os animos se realcaram com os relatos.  Tida como o atual paraìso dos cicloviajantes, o trecho de estradas de terra entre Vila O`higgins e Puerto Montt nos chama, e o encontro com pessoas vindas dali sò nos deixa ainda mais ansiosos.

Ao chegarmos ao Parque Nacional Torres del Paine, fomos recebidos pelo Sr. Josè, administrador, que nos isentou da entrada e nos dedicou seu tempo para a tradici0nal entrevista com questionamentos sobre o espaco das bicicletas dentro dos parques. Nos chamou a atencao o fato de nao ter conhecimento das atividades de trilhas de bicicleta guiadas que acontecem dentro do parque, oferecidas por um hotel ali presente. Fato este que sò descobrimos no ùltimo instante no parque, depois de 4 dias passando vontade de pedalar por aqueles caminhos tao bem cuidados…

Vai dizer que nao dà vontade…

Destaque espacial para uma curva presente neste trecho, batizada de Paso de los Vientos. Pelo nome e pelo jeito que a galera da foto se agarra nas pedras pra nao voar, podemos imaginar a brutalidade das rajadas. O mais engracado era ver que mesmo nos momentos em que todo mundo se apavorava com tal ventania numa beirada de trilha, familias passavam tranquilamente segurando as criancinhas pelas maos. Serà que estamos ficando velhinhos??

Destaque na foto para os alforges dianteiros Alpamayo, feitos e comercializados por quem entende.

O camping Las Torres, na base das mesmas, è um ambiente peculiar. Muita gente ali sò esperando o tempo abrir pra trepar nas fascinantes Torres del Paine. Escaladores do mundo todo. Barracas que vem e vao numa velocidade incrivel. As torres em si sao um espetaculo a parte. Entendo agora de onde vem a vontade de subi-las.

Atualizando entao o placar da competicao de exercito mais gente fina, a Gendarmeria Nacional Argentina lidera o placar com 2 x 0 sobre os  Carabineros de Chile. Uma noite muito bem dormida em uma cadeia abandonada e uma carona levam o time argentino a lideranca disparada.

Compromissos cumpridos dentro do parque, hora de voltar pra estrada. No nosso caminho um longo trecho sem nada e na nossa matula pouca comida. Fomos a uma fazenda pedir pra comprar qualquer coisa. Arroz, farinha, o que fosse.  A idèia de nos oferecermos a pagar pela comida parecia uma ofensa ao capataz que gritava: Da-me um cuchillo!!!!!!!

Nosso regalo aparece na foto, mas o 1kg de arroz que o acompanhou nao aparece. Um sal ganhado do frentista do posto e nossa janta estava completa. Nao adianta, tudo vai dar certo. Continuem conosco. Os comentàrios tem um valor indescritìvel nesse momento. Participem. Abracos de toda a equipe.

Anúncios

10 Respostas to “”

  1. IRANI LEITE DOS SANTOS Says:

    Estou feliz com a experiência de vcs. Os lugares por onde tens passado é lindo mesmo. Te espero ansiosa para contar tudo sobre a viagem. Que Deus continue do lado de vcs, protegendo, abençoando e um excelente final de viagem para todos.
    Saudades

  2. Mek, Celsao, Newba Says:

    Eaii bando de Ciganos… Essa viagem deve ta mucho loca. Esperamos que vcs sobrevivam para nos contas as histórias emocianantes que iremos ouvir com muita atençao. Continuem com bastante atençao e um grande abraço a todos.
    teh mais 🙂

  3. Aline Matulja Says:

    Meninos, o relato está emocionante, mais ainda poruqe há 10 dias tento imaginar por onde vcs andavam! Me emocionei e tranquilizei com las Torres e la Silla! Obrigada por nos mostrarem que não há apenas uma maneira de se viver em tempos de fim de mundo. Difundam a bicicleta, a sustentabilidade nas comunidades e sobretudo o espírito criatito que vos guia. Con amor! Aline

  4. Paulinho Says:

    ANIMAAAAAAAAAAAAAAAAAAL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Massa de mais acompanhar a trip de vocês, os relatos tão irados e as fotos, nem se fala!!!

    Realmente deve ser uma tortura não poder pedalar nesses single tracks aí do Paine, deu água na boca e suor nas canelas!!! Lugar incrível hein, muita vontade de estar aí também. APROVEITEM!

    Boa sorte na subida rumo à Carreteira, que o rípio não judie muito de vocês e nem das magrelas e que tudo dê certo!

    Vão com Deus e não dispensem o crucifixo que o muleke deu!!!!

    PS: A GT Old School matou a pau!

    Abraços fortes!

    Paulinho

  5. robson Says:

    Faaaaaaaaaala cacalhada!!!!

    IMPRESSIONANTE OS RELATOS E AS FOTOSSS!!! PARABENS PESSOAL!!! Continuem mandando noticias smepre q possivel e nao deixem de curtirem um segundo sequer… To morrendo de inveja de vcs!

    É isso ai galera.. q JAH continue abençoando vcs e nao desgrudem os olhos um do outro…qto mais pra cima vcs estivem mais movimento terao… bota pra baixo nas pirambeiras ai e nao vejop a hora de vcs chegarem pra nos contar TODOS os detalhes!!!!

    Pra mlkada que está perdendo o cabaço de viajar de bike… PARABENS!!!! Vcs estão se mostrando OTIMOS GUERREIROS!!! Fé em Deus que ele é justo mlkada!!!

    Tamo junto!

    Robão

  6. Andre Costa Says:

    NAAAAAAAAASSA!!!!!!!!!

    Mto bom o post! Valeu a espera! ahahahha

    Começando com uma Gtzona de cromo animal!!!! ahahha, bem parecida com a do meu vizinho Vinícius (ele tbm não vende não troca por nada! eheheh)…

    Meu! TDP é muito massa, que bom que vocês deram um jeito de fazer o roteiro!!!!! Pelo jeito foi no improviso usando os alforges da Alpamayo de mochila! ahhaha, animal! =)
    Dava pra vocês terem usado a fita do alforge ali sem dar o nó, só passando de um lado e fechando no outro, mas o nó com ctz é uma boa opção tbm! hahahahah

    Cara, a quarta foto do post, ANIMAL! Dá pra ver a galera de mochila láááá embaixo com o zoom, nassa, ainda vou nesse lugar!! =D

    Abração e vamo que vamo!!!!!!!

  7. Tè Dal Pont Says:

    Estou muito feliz com a experiência de vcs. Os lugares por onde vcs tem passados segundo relatos e fotos são maravilhosos.
    Que Deus continue abençoando e protegendo todos.
    Rafa não desgruda do crucifixo….nada acontece por acaso.
    Continuem sempre grudadinhos um no o outro.
    Desejo que todas as rajadas de ventos impulsione e dê mais energia a todos vcs.
    Força e otimismo.
    Uma excelete final de pedalada!!
    Abração

  8. Lays Says:

    Saudades… Rezo por vocês sempre que posso e espero anciosa pelas notícias, sempre. As fotos são lindas e as estórias são incríveis… Lê, se cuida aí, te amo. Lá

  9. Gabriel Trakinas Says:

    Parabens cicloaventureiros!

    Esses relatos são magicos, capazes de transmitir sensações que todos deveriam experimentar, ensinamentos que não estão em pápeis!

    Grande abraço

    E que os ventossss soprem pelas costas!

  10. dani Says:

    tá irado!! os relatos, as fotos, q lugar paradisiaco!
    o filé de panturrilha de lobo q vcs ganharam deve ter dado um belo jantar hein! haiuhaui
    muito massa mesmo rapazes!!
    fiquem com Deus e aproveitem ao máximo,
    grande abraço
    Dani

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: